BDSM não é só chicote e corda

Quem aqui assistiu o 50 Tons de cinza e se imaginou levando uns tapas, ou dando uns tapas na(o) parceira(o)? Então é melhor você parar por aí. BDSM não é aquela fantasia barata de filme B americano, cheio de clichês e sem profundidade. Mas fica tranaquilo(a), eu vou te explicar um pouco melhor sobre o BDSM.

Não vou falar de toda a origem do BDSM aqui, porque é uma história longa e complexa (como quase tudo dessa prática). Também sou apenas um admirador, que deseja um dia encontrar uma parceira que aceite minhas fantasias.

De onde vem o BDSM?

A sigla BDSM se refere a um  conjunto de práticas sexuais. Algumas delas tem origens bem antigas, outras inspiradas no Kama-Sutra e também nas práticas sexuais do século XVIII. Mas a sigla em si surgiu recentemente. Até onde descobri, ela veio da necessidade de organizar as práticas mais populares e estabelecer regras. É algo simples, porém recheado por uma complexidade. Antes de sair por aí batendo na namorada e falando que é um “Dominador”, estude e estude muito, isso não é brincadeira.

BDSM

Mas afinal, o que quer dizer BDSM?

As letras BD (Bondage e Disciplina) envolve a limitação de movimentos e alguns castigos físicos em forma de “disciplina”. DS (dominação e submissão) é onde um dos parceiros se coloca como dominador(a) e o outro é a(o) submissa(o). SM (sadismo e masoquismo ou sadomasoquismo) se refere a sentir prazer provocando ou sentindo dor.

Agora que você está conhecendo mais sobre o assunto, deve estar pensando que já pode pegar uma corda e uma cinta pra rasgar as costas da(o) sua(seu) parceira(o) ou parceiro. NÃO FAÇA ISSO! Tem outros detalhes que você precisa saber.

BDSM não é bagunça!

Os principais pilares do BDSM, tem fundamento no respeito ao outro! Antes de mais nada, entre em acordo com o seu “mozão” e veja até onde ela(e) vai. Especifique quais são os seus limites. Coloquem na mesa as suas fantasias e desejos, assim os riscos que eles podem trazer. Porque pode haver transtornos na vida social e profissional de cada um.

Aproveite para definir palavras de comando, onde cada uma vai significar algo. Inclusive a parada total no momento quando o limite for ultrapassado. Assim o parceiro que estava conduzindo o outro, pode parar, consolar e dar carinho, em vez de continuar a dominação.

Gostou do BDSM? Quer mais?

Ficou mais curioso sobre o assunto? Então leia, pesquise, tem bastante material físico e virtual sobre o assunto. E se eu errei em algo, por favor me perdoe e avise! É um assunto complexo. Ainda tem muito assunto para escrever. Você pode começar visitando o blog iniciacaobdsm.blogspot.com.br, que fala sobre esse assunto mais a fundo e me ajudou a escrever sobre.


Gostou desse post sobre BDSM? Quer ver mais conteúdo assim aqui no Peixe Bola Gato? Então nos ajude a manter o site no ar: vire nosso padrinho! É só clicar aí na imagem 😉

O PBG é um blog mantido por muitas pessoas que não podem ou não querem se identificar. Você pode enviar o seu texto para contato@peixebolagato.com.br, e terá sua identidade preservada.

Comments

comments

A Gerência

O PBG é um blog mantido por muitas pessoas que não podem ou não querem se identificar. Você pode enviar o seu texto para contato@peixebolagato.com.br, e terá sua identidade preservada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.