Hoje ainda é páscoa! Então não estamos atrasados para te dar um presentão. Mas o que poderia ser tão bom e intenso quanto chocolate? A resposta para essa pergunta é fácil: Nicolly. A morena de olhos azuis que vem encantando os usuários do CameraHot, é o melhor que você vai receber hoje. Não tem essa de ovo de páscoa e nem barrinha de chocolate, o que você realmente quer comer morder é essa deliciosa camgirl. Então afrouxa a calça/bermuda e confere esse relato do encontro que tivemos com a Nicolly.

Como foi o encontro?

O encontro virtual com a Nicolly só foi possível graças a nossa parceria com o CameraHot. Já são mais de 5 meses, onde nós ganhamos créditos no site. Tudo para trazer até vocês relatos gostosos de encontros com lindas camgirls. E dessa vez ainda tivemos a participação especial e curadoria de um dos caras mais legais do Twitter, o Dio. Para quem não o conhece, Dio é um dos usuários do CameraHot que foi mais importantes para Peixe Bola Gato. Sem a ajuda dele, não conseguiríamos conquistar a confiança de muitas das camgirls. Mas vamos ao que interessa… O ENCONTRO COM NICOLLY!

Depois de um bom papo pela DM, conseguimos marcar dia e hora para o nosso encontro. Eu já havia visto umas fotos da Nicolly no twitter. Já sabia da sua beleza. O que me incomodava, na verdade, era a carinha de “poucos amigos” que ela parece ter. Ou  melhor: cara de menina séria. Uma impressão totalmente errada da minha parte, porque a Nicolly pode ser tudo, menos “menina” e séria.

Nicolly

Quando abri sua sala e começamos o encontro, pude ver que Nicolly é um mulherão! Seus olhos são azuis como uma piscina. Enquanto seu corpo, natural, parece uma escultura. Estamos numa época que é mais cada vez mais complicado encontrar mulheres gotosas e naturais. E esses elementos fazem dela um mulherão, porque a beldade sabe explorar bem seus atributos, sem parecer “mais do mesmo”.

Começamos com uma dança, que durou pouco e já partiu para um striptease. A ideia que ela me passou, foi a de estar  curtindo aquilo tudo tanto quanto eu estava. E quando eu menos esperava, um consolo surgiu. Admito que já vi camgirls usando brinquedos maiores, mas aquela piroca preta de plastico, não parecia tão pequeno assim.

Socando com força

Daí para frente o encontro foi… de tirar o fôlego. A Nicolly não é do tipo “vulgarzona”. E fazendo um adendo: ser vulgarzão, não é um problema. Tem uma penca de camgirls e de usuários que curte o esquema “mostrar tudo”. A grande questão é que a Nicolly consegue te envolver apenas olhando para a câmera. Mas nem por isso o show fica “fraco” no quesito sexo.

Assim que o fogo subiu, Nicolly ficou numa posição confortável e mandou ver. O consolo entrava com uma velocidade que a câmera não era capaz de acompanhar. E enquanto ela socava com força, dava para ouvir seus gemidos e suspiros. Com um pouco de imaginação, eu era capaz de me imagina de pé, enfrente a ela, socando com força.

Foi um encontro sem defeitos! Uma das minhas melhores experiências com sexo virtual. Além de ter me jogado de cabeça na intensidade que é a Nicolly, provei um pouco de sua magia. A imagem de “menina séria” ficou de lado. A ideia de que ela poderia ser “má”, foi embora. Ficou só a tremenda admiração que passei a sentir por essa morena de olhos azuis.

A Intensidade de uma musa

A verdade é que a Nicolly é uma espécie de força da natureza. Ela vem como uma brisa, bem de levinho. E quando você menos espera, o furacão começa. Minhas expectativas eram altas para esse encontro, só não imaginava que seria tudo tão intenso. Aliás… podemos dizer que a “intensa” é exatamente a palavra que define a Nicolly. E se você ficou com desejo, querendo um encontro virtual com essa deusa, vá “desarmado”. Deixe que ela guie a brincadeira. Você verá uma mulher no auge do seu poder de sensualidade.


Gostou desse relato com a Nicolly? Dá uma passada lá no CameraHot e confere a sala dela e de outras camgirls.

Desde pequeno, “O crítico” é visto como um cara chato por aqueles que o conhecem. Sempre procurando analisar e desenvolver teorias, era um dos poucos adolescente que não se masturbava vendo filmes pornô. O Crítico batia punheta lendo as colunas de crítica do Rubens Ewald Filho.

Comments

comments