Se você é um amante da pornografia, muito provavelmente já sentiu alguma vontade fazer seu próprio filme pornô. Os poucos que conseguem vencer o medo, deveriam virar nossos ídolos só por colocarem a cara a tapa e se expor. E para minha felicidade, recentemente conheci um desses caras corajosos, o Leo Skull.

O Leo é um cara normal, como você e eu. Seu diferencial é apenas um: ter criado seu próprio canal no Xvideos e ter começado a carreira de ator pornô totalmente sozinho. O cara é um verdadeiro “exército de um homem só” e por isso achei que ele merecia uma entrevista aqui no PBG.

Confere o nosso papo, e dê uma passadinha lá no canal do Leo Skull, porque o que ele  mais merece é nosso apoio e reconhecimento.

PBG: Quando você decidiu que ia começar a fazer filmes pornô?
Leo Skull: Tudo começou no meu aniversario em Dezembro do ano passado. Eu estava escolhendo de que forma iria me presentear. Comecei pensar em algumas coisas, até que tive uma ideia. Pensei comigo mesmo “Pô… Acho que vou comer alguém”, e contei a ideia para um amigo.

Comecei entrar em alguns sites de acompanhantes, vi algumas garotas e mostrei pro meu amigo. Nessa brincadeira eu comentei “Porra! Se o cara come alguma mulher dessas, tem até que grava um porno pra fica de lembrança”. Foi a partir dai que fiquei com isso na cabeça.

Entrei em vários sites de anúncios de acompanhante. Vi que algumas atriz do mundo pornô também faziam programa e acabei pensando “Vou criar um canal pornô pra mim”. Foi a partir daí que começou a surgir o canal e a estreia no mundo do pornô.

PBG: Como é o seu processo criativo? Teve que rolar algum estudo pra poder colocar tudo pra rodar ou foi natural?
Leo Skull: Sim. Antes de tudo fiz um estudo legal de ângulos de câmera, como eu poderia fazer uma boa filmagem. Busquei referências de filmagem em outros filmes. A partir daí tive essa ideia de fazer um tipo de filmagem “tridimensional”, sendo: uma câmera pegando o ângulo lateral, outra pegando o ângulo de frente, e a terceira câmera para fazer breves filmagens mais detalhadas em primeira pessoa. Mas pra cada cena eu sempre penso bem como que eu vou filmar, para sair uma coisa bem dinâmica e legal de se assistir.

Como o Leo Skull escolhe suas atrizes?

PBG: Como você escolhe as atrizes com quem vai contracenar?
Leo Skull: Sempre faço uma busca detalhada em sites de acompanhantes e anúncios. Ai vou vendo o perfil de cada garota. Procuro sempre por aquelas que fazem o estilo safada e sem frescura, pois são as que mais topam fazer uma gravação. Se gostei de alguma, entro em contado, pergunto sobre o atendimento e se rolaria fazer uma filmagem pro canal. Se ela topa, beleza. Se não, parto pra outra.

PBG: Qual era sua relação com a pornografia antes de começar com os vídeos? Via muitos filmes?
Leo Skull: Ah, não muito. Sempre gostei de assistir pornô, mas assim… “mais casualmente”, uma vez ou outra. Até tinha alguns filmes em casa gostava de assistir, mas meu sonho mesmo sempre foi ser ator. Isso desde os meus 12 anos, quando vi meu primeiro pornô.

Eu não lembro que filme que era, mas depois que assisti pela primeira vez e vi tudo aquilo, pensei “Porra.. Um dia eu quero ser igual esses caras” e isso ficou dentro de mim. Hoje consegui concretizar meu sonho graças a essa evolução da tecnologia e o mundo da Internet.

PBG: Você tem pretensões de profissionalizar a coisa toda? Sente que poderia viver apenas fazendo os filmes e ganhando dinheiro com isso?
Leo Skull: Sim. Quem sabe mais pra frente. Tenho como base a BM vídeos e alguns youtubers que começaram lá de baixo, apenas com um sonho (assim como eu) e hoje consegue ganhar dinheiro com o que fazem. Acho que se eles tiveram capacidade e potencial pra chegar onde chegaram, por que não eu? Sei que não é fácil o caminho para o sucesso. Requer muito trabalho, dedicação e persistência, mas eu tenho fé e sei que um dia chego lá.

PBG: Se alguma das grandes produtoras quiser te contratar, você aceitará o convite?
Leo Skull: Ahh, se surgirem oportunidades, e dependendo de como seja a forma de trabalhar deles, por que não? Acho que aceitaria fazer alguma participação.

PBG: Com qual celebridade pornô nacional você gostaria de gravar?
Leo Skull: Adoraria trazer pra galera umas gravações com as nossas queridas Laisa Gregory e Alexandra Fadyla.

PBG: O que você não faria dentro de um filme pornô, mesmo que te oferecem uma grana alta?
Leo Skull: Porno Gay, masoquismo, e gang bang.

PBG: E para a galera que também quer seguir o mesmo caminho, qual é o conselho que você dá?
Leo Skull: Acho que primeiramente a pessoa não pode ter qualquer timidez diante das câmeras. E o principal de tudo é saber se preparar bem psicologicamente. A galera não tem noção da adrenalina que é tá ali, na hora da gravação. Muitas pessoas acham que ser ator é mole, que é só ir ali fuder e acabou. Não é assim que as coisas funcionam.

Um exemplo disso  é a Casa das Brasileirinhas. O quadro Ator por um dia, onde os caras chegam lá se achando “O Bom” e acabam fazendo feio na frente de milhares de internautas. Então a dica é: veja bem se você realmente tem preparo, tanto físico como psicológico, pra realmente querer ingressar nessa carreira. Se você tiver essas duas coisinhas, e não tiver vergonha de se expor diante das câmeras, vai fundo.


Gostou dessa matéria? Quer ver mais conteúdo assim aqui no Peixe Bola Gato? Então nos ajude a manter o site no ar: vire nosso padrinho! Com uma doação mensal de 1 real, você já está nos ajudando a segurar as pontas e continuar falando do pornôzão todo dia. É só clicar aí na imagem 😉

 

 

Desde pequeno, “O crítico” é visto como um cara chato por aqueles que o conhecem. Sempre procurando analisar e desenvolver teorias, era um dos poucos adolescente que não se masturbava vendo filmes pornô. O Crítico batia punheta lendo as colunas de crítica do Rubens Ewald Filho.

Comments

comments