Escolha uma Página

As vezes a gente quer chegar do trabalho, tomar uma cerveja, bater um bom papo e curtir uma putaria. Tudo sem pressão e sem enrolação. O problema é encontrar alguém que curta a brincadeira junto, e que seja uma pessoa “realmente de boa com a vida”, sem mais estresses. Se você ainda não encontrou uma mulher assim, deixe-me dar uma dica: procure a Manuzinha no CameraHot.

Conheci a Manuzinha faz pouco tempo, mas o pouco que vi dessa loirinha, foi impactante. O pessoal do CameraHot havia me indicado o perfil dela assim que terminou a 3ª temporada da CasaHot. E bastou dar uma boa olhada nos vídeos que ficam na memória do site, para entender que ela é… “diferente”. Isso sem falar nos videozinhos interessantes que ela posta no twitter.

O encontro com a Manuzinha

Como a Manuzinha já seguia o twitter do Peixe Bola Gato, só tive que mandar uma DM para a moça e marcar nosso encontro virtual. E desde o primeiro momento foi tudo “padrão de qualidade CameraHot. Ou seja: a Manuzinha foi atenciosa, prestativa e super educada. Os 3 principais quesitos para ser considerada um boa uma camgirl,  ou pelo menos boa para mim.

Na hora marcada, lá estava ela para me receber em sua sala. E já no começo do nosso papo pude perceber que a Manuzinha é o tipo de mulher sem frescuras. Ela me contou um pouco sobre como é ser camgirl, como é ter uma sala no CameraHot e como foi participar do CasaHot. Mas as coisas começaram a esquentar mesmo quando tiramos seus “brinquedinhos” da caixa. Nesse momento saquei que ela era bem mais “safada” do que estava parecendo.

Dá pra dizer que a Manuzinha gosta de coisas “grandes”. São vários brinquedinhos que mostram esse lado mais safado dela. E… puta que pariu, ver ela mexendo nos consolos gigantes, fez meu sangue ferver. Eu queria vê-la usando cada um deles.

A Manuzinha é o tipo de camgirl que curte mesmo se mostrar. Isso facilitou muito a brincadeira, porque em pouco tempo ela já estava mais a vontade. O resto do encontro foi acontecendo de forma natural, sem precisar forçar a situação. Quer dizer… ela forçou as coisas, mas foi pra dentro de si mesma e com força (risos). E dá um puta tesão ver a Manuzinha se tocando, enquanto pergunta se você está acompanhando e o que quer ver.

O que a Manuzinha tem de diferente?

Mulheres misteriosas são legais. Você nunca sabe o que esperar delas e isso dá um tesão fodido, porém… mistério demais enche o saco. A Manuzinha é totalmente o oposto disso. O diferencial dela como camgirl é ser mais direta. Uma mulher com quem você pode conversar e ter respostas diretas e verdadeiras. Não que ela vá tirando a roupa sem que antes exista um clima para isso. Não vá para sala dela achando que vai ser fácil, porque não é disso que estamos falando.

A questão aqui é que ela é mais “acessível”, mais direta e mais engajada em te fazer ficar maluco com o corpão que tem. Você será provocado do inicio ao fim, ficando num estado de excitação que desde o primeiro momento, até a última gozada. E o melhor de tudo é que a Manuzinha não apela para a vulgaridade. Tudo o que ela precisa fazer é deixar claro para quem a está vendo, que existe uma retribuição. Você está para vê-la e ela está ali para ser vista, porque apesar de parecer clichê, a verdade é que a Manuzinha gosta de se exibir como poucas mulheres.

E para quem quiser conhecer essa mulher maravilhosa, dando tudo de si, basta comprar um ingresso para o goldshow que ela fará essa essa semana. Tenho certeza de que vocês vão curtir. É só clicar na imagem aí embaixo 😉

monesinha


Gostou desse relato com a Manuzinha? Dá uma passada lá no CameraHot e confere a sala dela e de outras camgirls.

Desde pequeno, “O crítico” é visto como um cara chato por aqueles que o conhecem. Sempre procurando analisar e desenvolver teorias, era um dos poucos adolescente que não se masturbava vendo filmes pornô. O Crítico batia punheta lendo as colunas de crítica do Rubens Ewald Filho.

Comments

comments