Escolha uma Página

A década de 2000 foi uma fábrica de musas do pornô nacional. Algumas não merecem todo o prestígio que tem. Outras não são lembradas como deveriam. Mas existe um pequeno grupo de atrizes, que a simples menção do nome é o suficiente para fazer a mente de muitos fãs do pornô lembrar com carinho das horas de punheta e admiração. O nome de Babalu Monique com certeza está dentro desse grupo de musas que nos faz ter ótimas lembranças. Não atoa que o quadro Musas do Pornô Nacional será todo dedicado a essa mulher que fode como uma deusa. Confere aí!

CHEGA DE MANSINHO, DEPOIS FAZ BARULHO

Num contexto geral, podemos dizer que o início de carreira da Bablu Monique foi bem “calmo”. O primeiro filme da loira, em 2004, não foi dedicado. Mas ao mesmo tempo foi a melhor maneira do público a conhecer. Bastava chegar na hora de sua cena, que quem estava já meio “pra baixo” levantava rápido. Babalu era o que o público do pornô brasileiro queria: loira, esperta, extremamente erótica e cheia de curvas. Além é claro de dar um show de foda, deixando no chinelo muitas atrizes velhas de guerra.

O reconhecimento veio rápido para a moça. Em pouco tempo ela estava aparecendo em quase todas as capas dos filmes que participava. Eram clássicos do pornô nacional como: Mulheres que traem, O Clube das Depiladas, O Poderoso Bengão etc. O nome Babalu, que nem sempre vinha com o Monique no final, começou a ser garantia de um bom pornô. Até os gringos entenderam isso, e a loira começou a ser chamada para várias produções de parceria entre brasileiros e norte americanos. A série Mike In Brazil não seria a mesma sem a participação da loira.

A geração mais nova de fãs da pornografia pode não entender o amor que a galera das antigas tinha pela Babalu. Hoje em dia o pornô nacional é muito mais plural. As atrizes tem mais chance de se comunicar com o público e descobrir o que eles querem ver. Numa época de pornô homogêneo (e meio sem sal), Babalu Monique trouxe um pouco da animação das atrizes internacionais junto com o jeitinho brasileiro. Suas cenas de anal são, até hoje, uma das mais bem feitas e atuadas. Foram poucas as atrizes que aguentaram Kid Bengala e Big Macky e ainda pareciam estar gostando.

A TORCIDA PELA VOLTA

Infelizmente tudo o que é bom, chega ao fim. Desde o começo da década de 2010 não temos uma cena nova da Babalu. Não conseguimos encontrar nenhuma entrevista onde ela explicasse porquê parou de filmar. Mas nem tudo está perdido! Se você a acompanhar no instagram oficial dela, vai ver várias fotos sensuais. Enquanto isso, nós torcemos para que um dia Babalu se anime para gravar novamente.


Gostou dessa matéria sobre a Babalu? Então nos ajude a manter o site no ar: vire nosso padrinho! É só clicar aí na imagem 😉

Babalu

O PBG é um blog mantido por muitas pessoas que não podem ou não querem se identificar. Você pode enviar o seu texto para contato@peixebolagato.com.br, e terá sua identidade preservada.

Comments

comments