Escolha uma Página

Diz o ditado que “não basta ser o primeiro, tem que ser o melhor”. E parece que algumas pessoas conseguem chegar nesse patamar dentro do pornô nacional. Mas será que esse é o caso da Monica Mattos? A atriz dominou o cenário pornô  durante um bom tempo, foi tida como nossa maior musa pornô e até hoje é referenciada. Na postagem de hoje vamos falar sobre essa morena baixinha e descobrir se ela merece o posto de Musa do Pornô Brasileiro.

10 ANOS DE FODAS, POLÊMICAS E PRÊMIOS

A carreira de Monica começou em 2001, quando a moça tinha 18 anos. Seu contato com o mercado pornô veio através de uma amiga, que a apresentou a produtores e atores. E já nas suas primeiras cenas, Monica Mattos chamou atenção do público e dos diretores. Em pouco tempo fechou um contrato com a Brasileirinhas e se tornou uma de suas principais atrizes.

Monica se destacava das outras atrizes, porque topava fazer em cena o que a maioria torcia o nariz. No começo da década de 2000, o pornô brasileiro ainda estava se adaptando aos novos públicos. A morena, com carinha de inocente e corpinho proporcional, era uma opção tentadora para um público que estava cansado de ver mulheres “não tão bonitas”. O problema é que atuar no que a maioria não atua, significa fazer cenas de zoofilia, por exemplo. E esse tipo de produções acabaram colocando o nome da atriz num circulo de polêmicas.

Com o tempo certo, Monica Mattos começou a ser notada pelo mercado pornô internacional. Até que conseguiu o maior reconhecimento no mundo pornô, ganhando o AVN Award, na categoria “Female Foreign Performer of the Year“, em 2008. Entre atuação e direção, Monica fez em torno de 300 cenas/filmes. O que é na época era um número surpreendente. Em 2011 a moça se aposentou de vez do pornô, não voltou até hoje e ninguém sabe “por onde anda” atualmente. Quer dizer… até sabem, mas isso não vem ao caso aqui.

A MONICA É TUDO ISSO?

Agora vamos sair da informação e dar opinião? Pois então… Pra ser bem sincero: nunca achei a Monica Mattos “tudo isso”. Ela é uma boa atriz pornô? Claro. Suas cenas eram boas? Com certeza. Ela parecia curtir o que estava fazendo? Infelizmente não. E sim, esse é um item muito importante quando estamos falando de atrizes e atores pornô. Porquê não adianta você fuder bem, se na hora que a câmera foca no seu rosto, a expressão é de desconforto.

Quando pagamos para ver um filme, queremos acreditar no que vemos. E a Monica estava sempre com aquela carinha de “o que eu to fazendo aqui?”. Isso me deixava meio chateado, chegando ao ponto de perder o tesão. Nunca curti essa coisa de sexo forçado, então ver que atriz estava perdida ali, me deixava muito desconfortável. Obviamente que reconheço a carreira da Monica. Sei da importância dela. Sei que ela ainda é adorada por muitos pornógrafos. Mas PARA MIM nunca foi lá muito prazeroso ver a moça em cena.


Gostou dessa matéria sobre a Monica Mattos? Então nos ajude a manter o site no ar: vire nosso padrinho! É só clicar aí na imagem 😉

Desde pequeno, “O crítico” é visto como um cara chato por aqueles que o conhecem. Sempre procurando analisar e desenvolver teorias, era um dos poucos adolescente que não se masturbava vendo filmes pornô. O Crítico batia punheta lendo as colunas de crítica do Rubens Ewald Filho.

Comments

comments