Don-Jon-Official-Poster-Banner-PROMO-POSTER-06SETEMOR2013Eu poderia começar esse texto apenas gritando “SCARLETT JOHANSSON E JOSEPH GORDON-LEVITT TRANSANDO!”, porém não somos um jornal sensacionalista! Prefiro começar o texto de forma calma, dizendo que: no filme, sobre o qual vou falar nos próximos parágrafos, Scarlett Johansson, Joseph Gordon-Levitt e Julianne Moore se unem para te ensinar que pornografia é importante, mas nem tanto.

O filme conta a história do jovem Jon Martello (Joseph Gordon-Levitt), que além de ser viciado em pornografia, também é um daqueles caras escrotos que veem as mulheres como se fossem “brinquedos”. Jon começa o filme explicando porquê, mesmo sendo o maior comedor de Nova York, prefere tocar uma punhetinha do que comer uma mulherzinha. Seu argumento é simples: mulheres de verdade nunca são como as atrizes dos filmes que costumamos ver. O que não chega a ser uma mentira, mas também não é uma verdade.

Na trama, Jon (depois de comer muitas mulheres) encontra seu “verdadeiro amor” em Barbara, uma loira gostosa, mimada e controladora, que de quebra é interpretada por ninguém menos que Scarlett FUCKING Johansson. Depois de muito sofrer nas mãos da moça, ele acaba percebendo que na realidade Barbara é chata pra caralho e ainda fode mal. A situação chata  é logo contornada, porque no mesmo momento em que dá um pé na bunda de Barbara, Jon conhece a MILF Esther (Julianne Moore), uma coroa boa de foda, boa de papo e que o ensina o real valor de uma foda bem dada.

scarlett johansson joseph gordon levitt jgl don jon

É aqui que a coisa começa a esquentar.

O valor “educativo” do filme está no fato de que Jon aprende a deixar de olhar as aparências, enquanto vai entendendo bem devagar que uma foda bem dada depende do entrosamento que se tem com a parceira. Mas não estamos aqui para falar de “moralzinha” de filme, né? Então vamos logo para a parte das fodas.

 Julianne Moore fode mais que Scarlett Johansson:

Nas primeiras cenas de Don Jon já temos de cara dois nomes conhecidos do mundo pornô: Alexis Texas e Sunny Lane aparecem numa sequência onde Jon está explicando seus motivos para curtir tanto pornografia. Quem as conhece, vai ficar com aquele sentimento de “que bom”.

movies scarlett johansson porn don jon

Será mesmo? Tem pornô mais realista que muito filme por aí.

O filme anda e durante sua historinha pra boi dormir, Jon protagoniza umas 6 ou 7 cenas de sexo. Tudo muito rápido, tudo muito normal, mas o suficiente para te deixar de pau duro depois de uma semana sem comer alguém. E mesmo não tendo cenas detalhadas, a presença de Scarlett Johansson numa dessas cenas de sexo, muda completamente o contexto da coisa.

Porra, todo mundo quer ver a Scarlett nua! E arrisco a dizer que todo mundo, inclusive mulheres hétero, gostariam de transar com ela. Temos uma tara especial nessa mulher e nem sabemos o motivo. O chato é que a cena dela é bem rápida e não mostra muita coisa, mas é o suficiente para te fazer pausar e voltar várias vezes em busca de algum detalhe que tenha passado despercebido.

Porém… Como nem tudo que reluz é ouro, são as cenas com  Julianne Moore que dão o verdadeiro tesão. Moore e Joseph protagonizam apenas duas cenas de sexo, mas é algo tão “bonito” de se ver, que você (jovem punheteiro que nunca comeu uma coroa) vai caçar mais filmes de MILFS no Xvideos.

Dica do tio:

Esse filme é uma boa pedida para ver com a namoradinha naqueles sábados de tédio. Sua namorada vai chorar e se emocionar com a história, enquanto você vai ficar com a imagem da Scarlett Johansson na cabeça. Quando o filme terminar, sua namoradinha vai querer amorzinho gostoso e você vai querer dar umas pirocadas com força. Faça a menina gozar e vai terminar tudo bem.

PS: A cena onde a Scarlett fica esfregando a bunda no pau do Joseph Gordon-Levitt (por cima da calça) faz qualquer um ir a loucura, dá só uma olhada na carinha que ela faz.

Desde pequeno, “O crítico” é visto como um cara chato por aqueles que o conhecem. Sempre procurando analisar e desenvolver teorias, era um dos poucos adolescente que não se masturbava vendo filmes pornô. O Crítico batia punheta lendo as colunas de crítica do Rubens Ewald Filho.

Comments

comments