Tosco, rico e com um cabelo que não dá pra dizer se é engraçado ou ridículo, esse é Donald Trump! Mas o que o novo presidente dos EUA tem a ver com pornô? Em 2016, em meio da campanha eleitoral, alguém teve a brilhante ideia de fazer uma paródia pornô sobre o evento. E é daí que surgiu a paródia The Donald, que conta um pouco de como é a vida do bilhonário durante a corrida presidêncial.

Qual a história de The Donald?

Analisar The Donald é complicado. O filme é uma paródia pornô sem obra original no qual foi baseada. A história conta como seriam os primeiros momentos de mandato de Trump. Ou seja, tá mais para um pornô comédia, do que para uma paródia em si. Mas não tem problema, o importante aqui é ter graça e sexo.

O filme começa com Donald Trump chegando em casa. Recebido pela esposa e a amante, ele explica como foi seu dia. Ok, não parece muito engraçado. O problema é que a graça toda está no texto do filme e na interpretação do Evan Stone. Esses dois elementos fazem de The Donald uma piada política. Isso aí: um filme pornô que é uma piada política.

E tem um pouquinho de tudo. Trump ficando  excitado com capas de revista com seu rosto. Trump usando gostosas para convencer amigos políticos. Rola até umas cenas satirizando a Sarah Palin e seu posicionamento. Enfim… O que mais tem em The Donald são as malditas piadinhas políticas.

Sexo mais ou menos

O problema maior de The Donald é justamente a parte sexual. As cenas de sexo são simples, quase chatas. Obviamente tem aquela diversificação simples: oral, menage e lésbico. Mas não passa disso. Tudo com aquele ar de “filme pornô mediano”. Talvez a interpretação de algumas meninas valha apena no filme, mas os atores são fracos demais.

O Evan Stone é um monstro do pornô, mas ele já tá acabado. Essa parada de fazer posições bizarramente ensaiadas, junto com caras e bocas é muito ultrapassado. Dificilmente vamos notar realmente o ator, mas ele não precisa mandar mal por causa disso.

As atrizes são bonitas. Todas naquele estilo padrão “loirinha peituda”, mas  pra quem gosta é ok. Quem mais se destaca é a Christie Stevens, que faz uma ceninha. O que salva ela são as reações mais naturais durante o sexo, além do desempenho acima da média.

O que  The Donald tem de bom?

Mantendo o nível de sinceridade de sempre: The Donald é um “ruim”. Como comédia, a paródia tem bons momentos. Não vai te fazer gargalhar e nem perder o folego, mas é boa. Agora… Como pornô… é muito fraco. O estilo de sexo mostrado, mais as atrizes padrão, não chamam mais atenção. Se você for um garoto que está começando a ver pornô agora, talvez seja interessante. Mas se você já tem experiências com pornografia, The Donald é água com açúcar. Serve nem pra ver com a namorada.

Ficha Técnica
Nome: The Donald
Ano: Abril de 2016
Produtora: Hustler
Duração: 
Elenco: Evan Stone, Britney Amber, Christie Stevens, Natasha Starr, Alyssa Lynn, Subil Arch, Skylar Madison, Donnie Rock, Mark Zane

 

 

 

 

Trailer

 


Gostou dessa resenha do The Donald? Quer ver mais conteúdo assim aqui no Peixe Bola Gato? Então nos ajude a manter o site no ar: vire nosso padrinho! É só clicar aí na imagem 😉

Desde pequeno, “O crítico” é visto como um cara chato por aqueles que o conhecem. Sempre procurando analisar e desenvolver teorias, era um dos poucos adolescente que não se masturbava vendo filmes pornô. O Crítico batia punheta lendo as colunas de crítica do Rubens Ewald Filho.

Comments

comments